Sustentabilidade

O que é sustentabilidade e o que é sustentabilidade na Academia?

Aqui na Lisbon Cooking Academy gostamos de fazer as coisas bem, da melhor forma que sabemos e sempre dispostos a aprender. Esta é a nossa perspectiva sobre o tema Sustentabilidade, o qual enche blogs, filmes e discursos um pouco por todo o mundo.

A palavra Sustentabilidade tem a sua origem etimológica no Latim sustentare que significa sustentar, apoiar, conservar, cuidar. No fundo, manter bem durante o máximo de tempo possível e acessível a mais gente. Ora, nós aqui, à boa maneira matriarca Portuguesa, gostamos muito de conservar, manter, cuidar. Da nossa casa, família e vizinhos. Da nossa rua, bairro e cidade. Da nossa cultura, país e mundo. Da água que bebemos aos materiais que usamos, passando pela comida que fazemos e quem apoiamos. Querem saber mais? Ora leiam aqui em baixo.

1. Sustentabilidade Ambiental

A nossa água é filtrada, com e sem gás

Felizmente vivemos num país onde a água da torneira tem uma qualidade incrível, regularmente testada, sendo ótima para consumo. No entanto, quem não gosta daquele cuidado extra com a água que bebe, sobretudo se pensarmos que mais de 70% do nosso organismo é água? Dá-nos sempre que pensar este facto. Foi a pensar nisso que investimos numa máquina que filtra a água que bebemos e servimos. Fica deliciosa, pronta a encher as nossas garrafas reutilizáveis e ainda com um mimo extra para quem tem mais preguiça de a beber ao natural: água com gás. Aproveitamos a dica e vamos beber um copo agora.

Aqui nada sobra, tudo se transforma

Outro investimento recente na Academia foi um compostor de bancada -que nome estranho este, pensam, mas que cada vez mais fará parte do nosso léxico do dia-a-dia. Trata-se de uma máquina que, tal como o nome diz, acelera o processo de decomposição das sobras orgânicas, transformando-as numa matéria rica em minerais. Esta matéria, por sua vez, pode ser usada para enriquecer o solo, tanto para plantas de casa como nos quintais, contribuindo para um processo circular em que nada se perde.
Espalhem a palavra.

Reciclamos tudo o que podemos

Portugal tem um sistema organizado de separação de reciclagem liderado pela Sociedade Ponto Verde, em operação desde 1996. Raros são os Portugueses, incluindo avós e netos, que não sabem em que cor colocar as embalagens de plástico, cartão e vidro depois de utilizadas. No entanto, nunca é demais lembrar que, quanto mais e quantos mais o fizerem, menor será a nossa pegada individual e colectiva. Por isso, aqui na Academia reciclamos as embalagens dos produtos mas também as reutilizamos.

E reutilizamos o que conseguimos

Pois é, sempre que podemos, o frasco de vidro que acolheu o grão ou o feijão passa a copo para limonada, guarda arroz e massas ou mesmo o restinho daquela caldeirada deliciosa que cozinhamos num dos nossos workshops. Frascos de compota fazem ainda belos vasos para plantas ou guardam pickles. Além disso, evitamos comprar produtos embalados em plástico ao máximo. Como? Comprando no nosso querido mercado local, 31 de Janeiro, apoiando não apenas produtores nacionais como gente trabalhadora que acorda bem cedo para nos proporcionar os ingredientes mais frescos e sazonais.

2. Sustentabilidade Social

Colocar o dinheiro em quem merece

Ora, como estávamos a dizer em cima, sempre que possível apoiamos os nossos vizinhos ou, como se gosta de chamar hoje em dia, os negócios locais. Como? Bem simples. Compramos a maioria dos produtos no mercado local, cinco minutos a pé da Academia. Preparamo-nos sempre com sacos de pano ou sacos já utilizados (para as batatas mais sujas ou espinafres molhados, por exemplo) e escolhemos delicias de Portugal, não necessariamente calibradas (ou seja, todas iguais) e da estação. Isso mesmo, sazonalidade é fundamental, não apenas para apoiar local mas para dar ao nosso corpo o que ele precisa – a Natureza sabe o que faz.

Os nossos vizinhos são os melhores

Isto parece óbvio para um negócio local como nós, mas apoiamos a nossa comunidade de bairro a qual amamos de coração: a padaria da vizinha Laura, o atelier de cerâmica da Mufla e da Clementina, as meninas queridas ao virar da esquina e, claro, quando a comida dos nossos eventos e workshops sobras adivinhem o que fazemos? Isso mesmo, damos os excedentes aos vizinhos, tal como se faz em casa. Ou levamos para a nossa. Este é o nosso contributo para uma economia circular. Por vezes até nos parece pouco mas se todos fizéssemos pouco, já imaginou o muito que conseguimos?

3. Sustentabilidade Cultural

Uma casa bem Portuguesa, com certeza

Finalmente, mas não menos importante, é o nosso compromisso em manter a cultura Portuguesa viva e de boa saúde. Consideramos um pilar super importante no que toca à sustentabilidade, sobretudo em tempos de globalização e onde comer pizza ou torradas com abacate passou a ser o prato típico nacional -atenção que adoramos abacates, sobretudo do algarve. O que fazemos então para preservar a nossa cultura gastronómica?

A escola da nossa escola

Ana Viçoso, a cabeça e mãos à frente da Academia, aprendeu os princípios da cozinha clássica, embora sempre com um olho atento às últimas tendências da cozinha mais natural. Assim, transmite estas técnicas nos seus workshops, mantendo vivas as receitas mais deliciosas, aquelas que só as avós Portuguesas sabem fazer. Na Academia estamos em constante colaboração com outros chefs, reinventando-nos diariamente, seja a aprender novas técnicas como a testar novas receitas, nomeadamente usando menos sal, açúcar e gordura. Quem não quer comer mais saudável hoje em dia, mas comida que saiba a comida?

A nossa base é a Natureza

A cozinha da Academia é despretensiosa e pretende voltar à base, à raiz, à portugalidade.
Apostamos na educação, na nossa e na dos nossos alunos, amigos e vizinhos. Por exemplo, na importância em se comer menos carne -vamos poupar-vos de dados rebuscados mas relembramos que a maioria do solo plantável do mundo está ocupado com gado de grande porte. Como em tudo o resto, sem extremismos mas contribuir para que mais gente coma mais legumes, cereais e leguminosas é importante para nós. Pela nossa saúde e do planeta.

Sempre atentos ao mundo moderno

Como dizíamos, respeitamos a tradição mas não vivemos alienados das tendências mais contemporâneas, promovendo uma dieta equilibrada, próxima dos princípios da dieta mediterrânica. Nos nossos eventos e workshops tentamos apostar em técnicas de preparação dos alimentos o mais naturais possível e incluir muitas cores: verdes, vermelhos, amarelos, todos os super nutrientes das plantas. Aliás, não estamos a inventar a roda, apenas a fazê-la rodar bem.

O nosso bacalhau não é nosso

Finalmente, e porque não podemos falar de gastronomia Portuguesa sem falar do bacalhau da Noruega, aqui vai uma nota sobre o assunto. Amamos bacalhau e ensinar as 1001 maneiras de prepará-lo e cozinhá-lo, mas estamos conscientes que não será o peixe mais local e sustentável. O nosso parceiro Bacalhau Riberalves é certificado com o selo da MSC, a Marine Stewardess Council, basicamente um selo de qualidade atribuído a um peixe que é pescado de acordo com princípios mais sustentáveis. Como em tudo na vida, é um equilíbrio. E nós procuramos continuamente o nosso.

E isto que podem esperar de nós. Podemos não ser perfeitos, mas damos o nosso melhor a cada aula, a cada experiência, a cada dia. Venham procurar connosco, inscrevendo-se num dos nossos workshops online ou na nossa sede.